Ilha de Marajó



A maior ilha fluviomarinha do mundo. Há várias praias com dunas de areias claras e fofas, apresentações de danças folclóricas, como carimbo e lundu, e restaurantes de comidas típicas.

A viagem para Cachoeira do Arari, onde fica o Museu do Marajó, proporciona a visão completa do horizonte de qualquer ângulo que se olha, graças ao relevo plano. Nas fazendas do interior da ilha é possível se  hospedar e acompanhar o dia-a-dia dos trabalhos.

Acesso por Ferry Boat, saindo do trapiche de Icoaraci (a 23 km de Belém) para Câmara (a 35 km de Soure). O tempo de travessia, de balsa, da Baía de Marajó varia de 3h a 4h, dependendo da maré. Antes de chegar a Soure há outra balsa (15 min de travessia pelo Rio Paracauari). Existem outras opções para passegeiros.

A ilha tem 2 tipos de terrenos: no lado leste as terras são mais altas - de 4 m a 20 m, ficando acima das cheias do Rio Amazonas. Ali a vegetação predominante é o tipo savana, mas existem áreas pantanosas. Já do lado oeste possui terras baixas que são inundadas. Numerosos rios e igarapés formam um conjunto de pequenas ilhas e há florestas densas. Os animais são muitos: capivaras, suçuaranas, preguiças, caititus, macacos, veados, jacarés, jibóias, camaleões e tartarugas, sem contas as dezenas de tipos de aves. Entre os peixes há tucunarés, tambaquis, as perigosas piranhas e o paracuru, conhecido como "bacalhau do Amazonas".

© 2008 Trindade & Gonçalves - Produzido por Conceitual